Dia da Síndrome de Down: mães contam sobre a importância da inclusão de alunos especiais no ensino regular

22/03/2021

Data também traz reflexões sobre a necessidade da parceria entre escola e família para o desenvolvimento da criança

 

No próximo domingo (21), o mundo celebra o Dia Internacional da Síndrome de Down. A data reforça a importância da inclusão de pessoas especiais no convívio social, além do respeito às diferenças. Mesmo com datas comemorativas e leis que garantem a inclusão destas pessoas, a discussão sobre o tema ainda é muito importante. Um dos pontos principais para ser debatido, e que é determinante para um portador de necessidade especial, é a vida escolar.

“A educação é um direito de todos e considera o indivíduo na sua singularidade, levando em conta suas habilidades e especificidades, respeitando suas limitações", frisa Denise Vanderlei, psicopedagoga do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal. A explicação da educadora nos leva a uma reflexão sobre a necessidade da educação e do papel de cada um nesta conquista.

Em 2015, aos seis anos de idade, João Manuel, portador de Síndrome de Down, enfrentava junto da sua família uma grande mudança: frequentar uma nova escola. Apesar de ser um desafio, a adaptação ocorreu de forma rápida, pelo compromisso e parceria entre a escola e a família. "A professora falou que nunca tinha lidado com uma criança especial, pois era novata, mas que estava ali para aprender. Ela realmente aprendeu e eu estava sempre disponível para ajudá-la", conta Chiara Cardoso, mãe de João.

Atualmente, já no 7º ano, João continua no Colégio das Neves e todos os anos sua mãe realiza, no dia 21 de março, um momento especial com as crianças para demonstrar a elas o carinho e também para agradecer aos educadores pelo suporte. "A escola é muito importante para João. Não só para ele, mas para qualquer criança especial. A escola é o lugar onde eles se sentem acolhidos, onde eles veem crianças da idade deles. E isso faz muito bem para todas elas", acrescenta.

História que inspira
O Atendimento Educacional Especializado (AEE), ofertado na sala de Recursos Multifuncionais do Neves, sob a coordenação da psicopedagoga Denise, é um dos pontos chaves para o desenvolvimento do futuro dos estudantes especiais. Frederico Carvalho, portador da Síndrome de Down e ex-aluno Neves, construiu seu futuro a partir da interação vivida nesta sala. Ele estudou da Educação Infantil ao Ensino Médio no Neves e, no último ano de estudos, descobriu, por meio de oficinas de culinária realizadas no colégio, que faria o curso de gastronomia e teve o sonho de abrir o próprio restaurante. Durante as oficinas, ele contava com o apoio da psicopedagoga, do auxiliar e dos seus pais.

Milena Araújo, mãe de Fred, acredita que o voto de confiança e o relacionamento de parceria entre eles e a instituição foram fundamentais para a vida de Fred. "Desde o início, tivemos muito diálogo e sempre deixando claro que éramos parceiros. Afinal, Fred desenvolveu e teve um excelente crescimento pessoal. A escola foi extremamente importante nesse processo dele de sair do ensino médio para o ensino superior", compartilha a mãe.

Milena conta ainda que, ainda na 3ª série do Ensino Médio, a escola foi decisiva para ajudar o filho na busca pela graduação, visitando instituições de ensino superior e realizando oficinas. Hoje, Frederico está no segundo ano de graduação e cada vez mais empenhado na conquista do diploma de gastrônomo. Para divulgar seu trabalho, Fred criou o Instagram @dufredgastronomia. “Somos todos capazes de nos desenvolver plenamente, basta que tenhamos pessoas que nos apoie e confie no nosso potencial”, enfatiza Denise.
 

Parceiros

#FamíliaNeves

Ver mais
Colégio Neves